Histórica

Solar do Conde Subaé, nossa Casa do Samba

Nossa cidade amanheceu com a lamentável notícia do desabamento da sacada do Solar Araújo Pinho, após as chuvas que acometeram Santo Amaro nessa madrugada de 26 de abril de 2020. O Solar do Conde de Subaé, também chamado Solar Araújo Pinho, situado à Rua do Imperador, nº 1 (antiga Rua Jerônimo Gonçalves), foi tombado por… Continuar lendo Solar do Conde Subaé, nossa Casa do Samba

Histórica

Santo Amaro: prioridades políticas

Todo empreendimento que realizamos carece de método, razão pela qual é importante procedermos uma análise de realidade antes da ação. Esse pequeno texto pretende ser uma modesta análise de demandas sociais de Santo Amaro, a partir de dados do Censo 2010 do IBGE relativos ao município, bem como de dados do Índice de Desenvolvimento Humano… Continuar lendo Santo Amaro: prioridades políticas

Teológica

Por uma espiritualidade afro-cristã

Compartilho aqui mais uma humilde contribuição minha, para o debate sobre negritude e Cristianismo, o texto Por uma espiritualidade afro-cristã. Agradeço à Revda. Lilian Conceição pela leitura atenta do texto e sugestões de revisão. Embora o título seja “Por uma espiritualidade afro-cristã”, entendo, na verdade, que não se trata de uma busca, mas de um… Continuar lendo Por uma espiritualidade afro-cristã

Histórica

Anglicanismo na Bahia durante a 1ª metade do séc. XX

Dando continuidade aos posts sobre o Anglicanismo na Bahia, compartilhamos aqui esse novo texto sobre o Anglicanismo na Bahia na primeira metade do séc. XX, esse período que parece-me representar um declínio na vida anglicana da Bahia. Diferencia-se, contudo, este texto dos demais porque principiamos uma análise sobre o trabalho das capelanias britânicas no Brasil… Continuar lendo Anglicanismo na Bahia durante a 1ª metade do séc. XX

Histórica · Teológica

“Não é cabelo de crente”: estética negra e pertencimento cristão

Faz algum tempo em que a estética negra vem sendo posta em evidência, sobretudo através do “empoderamento crespo”, movimento/atitude referente à valorização do cabelo das pessoas afrodescendentes. Essa valorização passa pela mudança linguística da qualificação do capelo afrodescendente de “duro/ruim” para “crespo”, evidenciando tratar-se de um tipo específico de cabelo e não considerando-o à luz… Continuar lendo “Não é cabelo de crente”: estética negra e pertencimento cristão