Literária

Meu Anjo (Parte final)

Amig@s, aqui está o último capítulo do conto Meu Anjo. Obrigado pela leitura. Que nossos amores sejam redentores!

casal-senta-perto-de-estatua-de-leao-para-observar-o-por-do-sol-na-torre-eiffle-perto-da-place-de-la-concorde-em-paris-1457033697940_615x470

Capítulo VII

O tempo fora passando e, por conseguinte, a nossa relação ia se estreitando. Todas as barreiras foram sendo ultrapassadas a fim de que tornássemo-nos um só corpo. Noivamos naquela noite memorável em que a senhora chorou abundantemente, e certamente não por tristeza, mas por alegria.

O amor de Ângelo por mim crescia consideravelmente, por isso, sempre fui tratada com uma ternura crescente. Seu bem-querer por mim parecia estar numa perene ascensão. Toda vez que eu imaginava ter chegado ao limite, ele me amava mais.

Até hoje é difícil de acreditar que casamos, mamãe. Ele aceitou correr o risco de contrair o HIV, porque mesmo usando o preservativo nas relações sexuais, de qualquer forma, estamos expostos ao vírus. Mas ele aceitou, graças a Deus!

Foi linda nossa primeira celebração de amor. Tive uma imensa alegria em me ofertar a ele e, creio, também experimentou a mesma alegria. Ainda recordo-me da delicadeza de seu toque e de nossa harmonia.

Também até hoje me custa acreditar que ele tenha cometido a loucura de furar o preservativo propositalmente. Ele não precisava fazer esse gesto, nunca exigi dele prova alguma de amor. Mas ele quis dá-la a mim, e fez com uma discrição tão grande, que somente tive conhecimento quando apareceram os primeiros sinais de gravidez. Compreendi que o amante, por desejo de se unir ao objeto de seu amor, rebaixa-se muitas vezes às mazelas do amado. Esse rebaixamento é para reconduzir o amado à felicidade.

O fruto dessa loucura, mamãe, é a maior preciosidade de minha vida. Nosso Rafael, que graças a Deus é sadio, é a prova de que o amor só frutifica amor! Ângelo mudou a minha vida, mãezinha, a presença dele encheu minha vida de alegria.

Quando eu imaginaria, no tempo de minha insanidade por causa da não aceitação da doença, que demoraria tanto para o vírus sair da lua-de-mel? Como eu imaginaria que, mesmo 15 anos depois de ter contraído o vírus, eu não teria desenvolvido a doença e nem o Ângelo? Ele, o meu anjo, é de fato meu redentor. Acho que o amor abundante com que ele me ama e o amor com que o amo, faz com que nosso vírus viva em lua-de-mel.

Mas a razão de lhe escrever essa imensa carta, mamãe, ao final de tudo, é para compartilhar a alegria que descobrimos aqui. Os cientistas acabam de decifrar o genoma humano. Estamos perto, muito perto, mamãe, de descobrir a cura para o HIV. Esse Fórum Mundial de Saúde, aqui em Paris, tem nos deixado repletos de esperança de um futuro sem fantasmas.

O meu anjo está dormindo agora. Visitamos ontem a Torre Eiffel, por isso, mando um cartão-postal com essa carta. Em breve, estaremos de volta. Tchau. Te amo, mamãe.

Ass: Maria, sua filhinha amada.

Ps: Até dormindo, ele parace um anjo, o meu anjo!

FIM

Leia os demais capítulos:
Meu Anjo (Parte I)
Meu Anjo (Parte II)
Meu Anjo (Parte III)
Meu Anjo (Parte IV)
Meu Anjo (parte V)
Meu anjo (Parte VI)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s