Literária

Plano B

Esse texto do Sérgio Beggiato – muito bom, diga-se de passagem – lembrou-me uma série de textos que escrevi sobre o amor. Alguns deles, inclusive, já postados aqui, como Prolegômenos acerca do Amor“Nunca te vi, sempre te amei!”“O amor é forte como a morte!” (Ct 8,6), e “O Reino dos Céus é semelhante a um grão de mostarda…” (Mt 13,31).

Eu, nós dois e todo mundo

Amorzinho de infância, a última vez que se viram foi antes da faculdade. Ele foi embora fazer arquitetura e viver de fotografia, ela ficou aqui pra fazer medicina, e aí a vida passou.

Diga-se que eram inseparáveis desde sempre: se conheceram no primeiro dia da escolinha, há tanto tempo que parecia nem ter acontecido, e viveram juntos desde então. Primeiro amigo, primeiro amor, primeiro adeus, primeiro coração partido, a história deles era uma só e sempre foram dois, até que o mundo veio e disse não.

Sonhos, escolhas, caminhos, fizeram as deles e ficou tudo bem. Choraram, verdade, mas dor de amor que já foi sabe esconder. Não passa, mas não incomoda: fica cicatriz pra lembrança de que aconteceu. Carinho é remédio pra saudade.

Quando o coração machucava , lembravam com ternura da vida vivida pra solidão desapertar; seguiram em frente e a vida passou. Pra se reencontrarem foram onze anos, treze…

Ver o post original 107 mais palavras

2 comentários em “Plano B

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s