Homilética

Pregação na 4ª Noite da Novena de N. Sra. da Guia – 2010

Proferida na Igreja do Senhor do Bonfim, em 20 de janeiro de 2010

 

Reverendo Côn. Edson Menezes da Silva, Reitor desta Basílica do Bonfim, e a quem tenho a gratidão de ter me propiciado a formação que me tornou o Padre que sou;
Reverendos Diáconos, os meus cumprimentos fraternais;
Veneranda Irmandade do Senhor do Bonfim;
Demais fiéis leigos e leigas aqui presentes – os que são fregueses nesta Igreja, os que estão de passagem e os vieram comigo, em caravana da Paróquia Sagrada Família de Nova Brasília de Itapuã, onde tenho o prazer de ser Administrador Paroquial –

 

A todos graça e paz, da parte de Jesus Cristo, nosso Irmão, e de Deus, nosso Pai!

 

Como soi acontecer, terminada a Festa do Glorioso Senhor do Bonfim, os fiéis continuam a subir a Colina Sagrada para render louvores à Mãe de Deus, aqui invocada com o título de Nossa Senhora da Guia. Por isso, estamos aqui, hoje, no intuito de celebrarmos a 4ª noite destes louvores à Senhora da Guia. Viemos eu e minha paróquia, das águas do Abaeté para a Colina Sagrada, nos juntarmos aos devotos desta magnífica Senhora e do Amado Senhor do Bonfim.

            O sub-tema desta noite é Maria, “ensina-nos o primado da escuta da Palavra na vida do discípulo e missionário”. A primeira coisa que este tema nos traz é que Maria é uma pedagoga, quer dizer, ela é alguém que ensina. Aliás, o título de Senhora da Guia é propriamente por isso: ela ensinou Jesus desde a infância deste a sua vida pública. No Oriente, Maria é invocada com o nome de Odigitria, que significa condutora ou guia. Nossa Senhora, portanto, é uma pedagoga. E não só para aqueles tempos, como também os tempos atuais.

            Maria ensinou o Cristo a fé de Israel, que está centrada basicamente na escuta e na observância da Palavra. Tendemos a ver o Cristo como alguém que nasceu pronto, porque só levamos em consideração a sua divindade. Mas Ele, enquanto ser humano como nós, não nasceu pronto. Certo dia, Maria e José o colocaram na Escola da Sinagoga que freqüentavam; em casa, como de costume na Tradição Judaica, ela o ensinava a Lei, ao redor da mesa, na liturgia do Shabbat, quer dizer, do Sábado, que é dia sagrado para os judeus. Em Israel, as mulheres são responsáveis pela catequese em casa.

            Pois bem, meus irmãos e minhas irmãs, o certo é que Maria, a Senhora da Guia, pode muito bem nos ensinar o primado da escuta da Palavra, não só porque cuidou disso na educação do menino Jesus, como também porque ela viveu este primado. Israel há anos esperava a vinda do Messias; e Nossa Senhora foi educada nesta espera, até que em um dia, comum como todos os outros, apareceu-lhe o anjo Gabriel com a boa nova de que ela seria a mãe do Messias. Por certo, passou por sua cabeça todos os ensinamentos que Santa Ana e São Joaquim a haviam transmitido, acerca do Messias e tudo que ela havia estudado na Lei.

            Enfim, ela primou pela escuta da Palavra e cá estamos nós, a tantíssimos anos depois, graças ao seu gesto singelo e corajoso naquele dia inaudito: o fiat, faça-se, perante o qual toda a criação parou, num drama sem igual, aguardando a resposta que faria a diferença para toda a humanidade.

            Mas será que nos tempos de hoje ainda precisamos de odigitrias, quer dizer, de guias? Mais que nunca, temos todo o conhecimento nas mãos. Os livros de autoajuda estão aí, por exemplo, e nos dizem a todo instante que nós podemos conduzir a nossa vida por conta própria. Em parte, isto é verdade; mas em parte, não. Ninguém está livre da necessidade de ter condutores, guias, ou seja lá que nome dermos. Sobretudo, quando se trata da Palavra de Deus, precisamos que nos conduzam e nos ensinem a respeitá-la e observá-la. Ela, que é Mãe, nos ensine, então, sobre o seu próprio Filho, aquele que, não se contentando em ser Palavra; quis fazer-se carne, nascendo do ventre de uma mulher.

            Meus irmãos, minhas irmãs, somos discípulos e missionários do Salvador. A Palavra de Deus precisa ocupar um lugar central em nossa vida, porque ela é a orientação d’Aquele a quem dizemos seguir; não podemos ter comunhão com Ele, senão escutamos a sua Palavra. Siguamos o exemplo da Senhora da Guia, que escutou e acolheu a Palavra de Deus. Viver o primado da escuta da Palavra de Deus é justamente colocar em prática esta mesma Palavra.

            Senhora da Guia, mãe de nossa fé, ensina-nos a colocar a Palavra de Deus em primeiro lugar em nossa vida; sabemos pouco sobre nós mesmos, precisamos de sua condução, para que alcancemos o trono de Deus. Guiai-nos, com a tua presença e o teu ensino, por todas as coisas vividas em nosso cotidiano, por vezes tão agitado. Confiamos em Ti, ó querida Senhora, nossa Mãe. Não nos desampares, confiantes estamos em tua condução, Mãe da Guia! Amém!

Pe. Adriano Portela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s